quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Falta d'água atinge 13,7 milhões de pessoas no Estado de São Paulo

A falta d'água já atinge 13,7 milhões de pessoas em 68 municípios de São Paulo, fora a capital. Desses, 38 já adotaram o racionamento, três estão em situação de emergência e um em calamidade pública.
Grandes cidades do interior, como Campinas, Piracicaba e Americana sofrem com a falta de água, mas não assumiram o racionamento. Na terça-feira, 14, atendendo a pedido do prefeito Jonas Donizete (PSB), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) autorizou o aumento na liberação de água do Sistema Cantareira de 3 metros cúbicos por segundo para 3,5 m3/s para evitar o colapso no abastecimento de Campinas.
De acordo com a Sanasa, a empresa de saneamento da cidade, com as altas temperaturas o consumo aumentou de 2,8 m3/s para 4 m3/s. A má qualidade das águas do Rio Atibaia, onde é feita a captação, fez com que o volume de água tratada fosse reduzido, "provocando problemas pontuais de falta de água em algumas regiões da cidade".
Desde sexta-feira, a empresa utiliza 20 caminhões-pipa para atender os bairros mais afetados. Em Bauru, 158 bairros vão conviver com rodízio que começou na quarta-feira.
A comerciante Rosana Domingues está comprando água para consumo. Já a cidade de Americana adotou anteontem o rodízio entre os sistemas de captação para preservar os reservatórios, mas não admitiu o racionamento oficialmente. O procedimento vale para toda cidade. Em Piracicaba, desde o início do mês, pelo menos 20 bairros - mais de 100 mil pessoas - ficaram sem água. Moradores alegam que há um rodízio disfarçado. O Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae) alega que o desabastecimento foi causado por avaria em uma adutora.
O Rio Corumbataí, que abastece a cidade, está com nível muito baixo. Salto e Guararapes também optaram pelo racionamento esta semana. Com racionamento desde fevereiro, Itu está sendo abastecida precariamente com a compra de três milhões de litros de água por dia em outras cidades. No domingo, no quarto protesto contra a falta de água, moradores interditaram uma rodovia e incendiaram um ônibus. Oração Em Franca, a seca reduziu em 45% a vazão do Rio Canoas - o principal manancial da cidade - e em 65% a do Córrego Pouso Alegre.
Ontem, ao visitar o Canoas e saber que os cortes de água começariam, o vereador e pastor Otávio Pinheiro (PTB) rezou pedindo chuva, com outros 12 vereadores e o diretor da Sabesp, Rui Engracia. "Fiquei muito assustado quando vi aquela situação, com o rio baixo e cheio de terra", justificou. Na cidade, a Sabesp não assumiu oficialmente o racionamento, mas divulgou uma lista com dezenas de bairros que estão tendo o corte de água. Todo dia, 27 caminhões-pipa buscam água em represas da região para completar os reservatórios. O município de Cruzeiro, no Vale do Paraíba, adotou o racionamento anteontem, em razão do baixo nível dos Rios Batedor e Passa Vinte. Com o rodízio, o abastecimento fica interrompido durante 24 horas, em dias alternados.
A telefonista Ana Cristina Ribeiro, moradora da Vila Brasil, foi avisada que ficará sem água a partir das 7 horas de hoje. "Como só tenho uma caixa, pedi à minha mãe para encher os baldes, pois não sabemos quando a água vai voltar." Segundo ela, a cidade tem bairros altos que já estão sem água há mais tempo. Moradores de Redenção da Serra reclamam da interrupção no abastecimento e da qualidade da água, mas a Sabesp informou que os problemas foram pontuais e já estão corrigidos. A Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia do Rio Paraíba do Sul (Agevap) prevê que as represas que abastecem a região podem entrar em colapso em novembro, se não vierem chuvas em volume suficiente para recuperar os mananciais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
FONTE: UOL

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Colégio usa WhatsApp para se comunicar com pais de alunos

Para aumentar a participação dos pais no processo de aprendizagem dos filhos e oferecer mais segurança, algumas escolas passaram a adotar ferramentas tecnológicas já bastante conhecidas do nosso dia a dia. Neste colégio, em São Paulo, os telefonemas e reuniões presenciais deixaram de ser o principal canal de comunicação entre pais e mestres. 
Há pouco mais de um ano, aplicativos de comunicação e compartilhamento como Google Drive, Hangouts e o tão popular WhatsApp se tornaram presentes no cotidiano dos pais, professores e coordenadores.
Aqui, o WhatsApp já é responsável por quase 90% de toda a comunicação entre os pais e a escola.
As mensagens instantâneas facilitam na hora de passar um recado ou esclarecer qualquer dúvida relacionada ao aluno. Mas a comunicação é de mão dupla: os pais costumam questionar sobre o dia quando as crianças estão em fase de adaptação ou doentes e até usam a ferramenta para avisar quando vão atrasar para buscar os filhos. Se antes a comunicação era feita somente pessoalmente ou por recados na agenda, agora a tecnologia trouxe a facilidade do “tempo real” para situações como estas.
Do outro lado, mesmo quando não há qualquer urgência, as coordenadoras costumam “presentear” os pais com fotos dos alunos realizando as atividades na sala de aula, brincando ou se alimentando.
Mais do que aproximar os pais do dia a dia dos filhos, a tecnologia os aproximou da escola. As reuniões trimestrais de pais e mestres – dependendo da ocasião – podem ser transmitidas em vídeo através do Hangouts. E quando o pai ou mãe não pode de jeito nenhum participar daquele momento, a escola agenda um novo horário para uma reunião virtual com a coordenadora.
Outra atividade proporcionada pela tecnologia aqui neste colégio é a transmissão da aula em tempo real. Em uma fase importante da alfabetização, Matheus precisou viajar com os pais para o Sul do país. Para não perder a aula, as professoras transmitiram a atividade para ele...
E não para por aí. Para compartilhar o desempenho das crianças, o colégio publica o relatório trimestral do aluno no Google Drive. 
Se essas ferramentas são tão utilizadas no nosso dia a dia, nada melhor do que aproveitar ao máximo em cada vez mais situações e ocasiões.
Fonte: Olhardigital.com.br

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Polícia apreende 300 troncos de madeira e investiga corte ilegal de árvores

fcda38ef94012bb9721b248b0c1a5777.jpg

Policiais militares apreenderam neste sábado (18) cerca de 300 troncos de madeira retirados ilegalmente da zona Sudeste de Teresina (PI), o que corresponde a aproximadamente 20 metros cúbicos. Os responsáveis pelo corte não foram localizados. 
A apreensão ocorreu em uma área próxima ao parque de exposições Dirceu Arcoverde, na BR-343. "É uma área verde muito grande, com árvores muito frondosas que estavam sendo retiradas, como Aroeira, Pau D'Arco, Cedro...", conta Dionísio Neto, secretário executivo de meio ambiente de Teresina.
De acordo com Dionísio Neto, a área em questão é de floresta decidual, protegida por lei. Além diso, não havia nenhum licenciamento para o corte da madeira. 
A madeira ficará apreendida até que a Secretaria de Meio Ambiente decida sua destinação. 
A população pode denunciar atos contra o meio ambiente para a Semam (86 - 3225 5535) ou o Batalhão Ambiental (86 - 3225 2748).

Fonte: Cidadeverde.com

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Mercado de TI escolhe profissionais pelo comportamento

(Foto: Divulgação)

Se você está interessado no mercado de tecnologia, saiba que não pode se conformar com os estudos relacionados à sua área de interesse, pois não basta apenas saber fazer, também é preciso se relacionar.
Especialistas defendem que as competências comportamentais são tão ou até mais importantes do que as competências técnicas, portanto o profissional tem de estar atento a necessidades que muitas vezes não aparecem nas descrições das vagas.
"Não sei se há uma competência específica para a área de TI, mas o mercado, através dos departamentos de recursos humanos, fala muito da capacidade de trabalhar em grupo, de ouvir (por conta do atendimento), de liderança, proatividade… são coisas ligadas a um conjunto de habilidades que são humanas e todos precisaríamos desenvolver", aponta Luiz Claudio Bido, coordenador do Núcleo de Atendimento Psicopedagógico da BandTec.
A instituição tem um trabalho voltado ao desenvolvimento desse tipo de competência que, de acordo com Bido, consiste em focar nos valores ao invés de pensar em treinamentos convencionais.

"A habilidade de saber ouvir, por exemplo: não adianta dar um treinamento sobre saber ouvir se isso não estiver fundamentado numa questão anterior que é a valorização do outro. Se eu não entendi esse valor eu não vou entender o saber ouvir. Posso desenvolver posturas e o falar, mas se eu não tiver isso interiorizado não vai adiantar".
Essa é uma parte da preparação profissional que não pode ser deixada de lado, pois algumas empresas chegam a dar mais atenção ao comportamento do que ao nível de entendimento que o candidato apresenta sobre o cargo. "Eu costumava contratar pela habilidade técnica e demitir por causa dos comportamentos", conta Leandro Lopes, CEO da L3 CRM.
No caso da L3, as contratações regulares são feitas com peso igual: o candidato tem de ser bom, mas também ter alguns valores embutidos. Já com os trainees a coisa pende totalmente para o campo psicológico. "Percebemos que é mais fácil ensinar a parte técnica do que a comportamental", esclarece.
Lopes conta que o processo seletivo identifica o perfil do candidato para descobrir se ele combina com a vaga. "Para desenvolvedor precisa ter amplitude reduzida, ou seja, a pessoa tem de ficar focada no desenvolvimento; o consultor funcional tem de ser comunicador para fazer a integração entre cliente e desenvolvedor; o representante comercial precisa ter um perfil mais empreendedor, visão geral do cliente e da empresa para integrá-lo com as nossas ofertas."
Luiz Claudio Bido, da BandTec, observa que muitas empresas estão reorganizando suas dinâmicas para explorar essas questões, de olho em constatações como a de Lopes de que os problemas que geram dispensas geralmente são encontrados no comportamento dos funcionários, e não em suas qualificações técnicas.
"O aluno de TI vai aprender a ouvir quando ele tiver de ouvir, quando isso for um valor para a instituição de ensino. A mesma coisa com uma empresa: quem ouve os colaboradores vai formar colaboradores que sabem ouvir."
Fonte: Olhardigital.com.br

domingo, 19 de outubro de 2014

Horário de verão começa hoje à meia-noite; veja onde muda

Em meio ao agravamento da situação nos reservatórios das principais hidrelétricas do país, entra em vigor neste domingo (19) o horário de verão. A expectativa do governo é que a redução no consumo de energia no período contribua com uma queda de 0,4% no uso da água dessas represas.


A 39ª edição do horário de verão terá duração de 126 dias e terminará no dia 22 de fevereiro. À 0h (meia-noite) de sábado para domingo, os moradores de dez estados, além do Distrito Federal, terão que adiantar os relógios em uma hora.
Para especialistas do setor elétrico, a economia de água dos reservatórios das hidrelétricas, apesar de pequena, é importante diante do cenário de crise. Por conta da falta de chuvas, na quinta (16) o nível nos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste, que respondem por 70% da capacidade do país de gerar energia, estava em 22,09%, o pior resultado para essa época desde 2001, quando o país passou por racionamento.
“Essa economia [de 0,4%] não é de se jogar fora diante da atual circunstância”, diz Roberto Brandão, pesquisador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
“Os benefícios não são gigantescos, mas ainda são significativos, continua valendo a pena. Qualquer economia de água dos reservatórios é válida”, diz o presidente do instituto, Claudio Sales.
De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), entre 2010 e 2014 o horário de verão resultou em economia de R$ 835 milhões para os consumidores, devido à eletricidade que deixou de ser gerada pelo uso da luz do sol. Para a edição 2014/2015 do horário de verão, a economia estimada é de R$ 278 milhões, 31% menos do que na edição passada (R$ 405 milhões).
Esses valores, porém, são muito pequenos diante dos gastos do setor elétrico e não chegam ter impacto nas contas de luz. Apenas os empréstimos bancários para fazer frente aos gastos extras no setor elétrico em 2014 vão custar aos consumidores R$ 26,6 bilhões, de acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU).
Benefícios
Além da economia de energia, o governo defende a manutenção do horário de verão alegando que a medida evita investimentos de cerca de R$ 4 bilhões ao ano, com mais geração e sistemas de transmissão de eletricidade. Segundo o Ministério de Minas e Energia, ele permite um melhor aproveitamento da luz solar e “maior racionalidade no uso da eletricidade.”
Outra vantagem, diz o ministério, é o aumento da segurança do sistema elétrico e maior flexibilidade para a realização de manutenções, além de redução da pressão sobre o meio ambiente e nas tarifas cobradas pelo serviço. O horário de verão foi aplicado no Brasil pela primeira vez no verão de 1931/1932.
Consumo na ponta
Entretanto outro efeito do horário de verão, que é o de evitar picos de consumo de energia no chamado horário de ponta (entre 18h e 21h), “perdeu um pouco da relevância” nos últimos anos, aponta Roberto Brandão, da UFRJ.
Por conta do aumento no uso do ar-condicionado no país, mais recentemente os picos de consumo de eletricidade durante o verão começaram a ser registrados no início ou meio da tarde, entre 14h e 16h. Na quinta (16), por exemplo, ele aconteceu às 14h47, informou Brandão.
No passado, esse pico era registrado entre 18h e 21h, devido ao aumento do consumo gerado pelo uso de eletrodomésticos quando as pessoas saem do trabalho e voltam para as suas casas, junto com a iluminação pública nas cidades. 
“Nos últimos anos, o horário de verão perdeu um pouco da sua relevância porque houve mudança no padrão de horário de ponta no Brasil”, diz o pesquisador. Ele aponta, porém, que continua sendo importante equilibrar a demanda por energia no fim do dia.
Para o professor de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB), Rafael Shayani, o horário de verão continua sendo importante para “evitar a sobrecarga” do sistema elétrico durante o verão e até mesmo apagões. “O horário de verão é necessário na medida em que a demanda por energia no Brasil está crescendo e o setor elétrico não consegue acompanhá-la. Ela visa evitar um apagão”, diz ele.
Fonte: G1

sábado, 18 de outubro de 2014

Facebook vasculha a deep web para combater vazamento de senhas


Infelizmente, é muito comum na web casos de vazamentos massivos de senhas, como aconteceu recentemente com o Dropbox. O grande problema é quando essa senha é usada em múltiplos serviços simultaneamente. O Facebook revelou nesta sexta-feira, 17, que tem um sistema que tenta evitar que eles sejam vítimas deste tipo de vazamento.
O recurso do Facebook, detalhado em post oficial, vasculha postagens anônimas em sites como o Pastebin, muito usado para divulgar este tipo de informação. O algoritmo tenta comparar as senhas vazadas com as dos usuários da rede social para ver se há alguma combinação.
Caso o usuário realmente tenha sido vítima de um vazamento de senhas, o Facebook o notifica e a senha da rede social passa por um reset. A intenção é que a empresa descubra senhas funcionais na rede antes dos cibercriminosos para que a vítima permaneça seguro.
Isso vale para qualquer serviço web. Ou seja: se você tiver a senha do Gmail vazada e ela for a mesma que você utiliza no Facebook, o serviço deverá acusar o problema e forçará o reset.
O grande problema a ser combatido aqui é a repetição de senhas. Se você tem conhecimento tecnológico, sabe que não deveria usar a mesma senha para dois serviços diferentes, porque se um deles apresentar vulnerabilidade e deixar sua palavra-chave escapar, sua outra conta também ficará exposta. O Facebook tenta ajudar a solucionar esta questão, mas é uma atitude que precisa vir do usuário também.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Prêmio Jovem Cientista estimula pesquisas sobre o setor de alimentos



A 28ª edição do Prêmio Jovem Cientista está com inscrições abertas até o dia 19 de dezembro. Estudantes do ensino médio, superior, mestres e doutores podem participar. O tema deste ano, “Segurança Alimentar e Nutricional”, visa incentivar inovações em toda a cadeia produtiva do setor alimentício: desde as etapas de transporte, armazenamento e conservação até a mesa do consumidor.
O regulamento define 11 linhas de pesquisa para as diferentes categorias. As pesquisas devem ter aplicação prática na solução de problemas concretos de uma localidade ou região do País. Os estudantes do ensino médio contam ainda com um auxílio fundamental: aulas online sobre o tema no site do evento buscam ajudá-los a elaborar a pesquisa. O material gratuito traz vídeos, reflexões, dados, infográficos e desafios para o aluno interessado.
O candidato que tiver sua inscrição aceita receberá um certificado de participação, a ser encaminhado até o mês de agosto de 2015. Além da premiação de mais de R$ 800 mil, os vencedores receberão laptops e bolsas de estudo. Mais informações no site da premiação. Instituído pelo CNPq em 1981, o prêmio conta com a parceria da Fundação Roberto Marinho e da Gerdau.
Fonte: finep.gov.br