sábado, 30 de abril de 2016

Piauí é um dos três estados do Brasil que mais produzem camarão

A equipe do Clube Rural visitou uma das três maiores produtoras de camarão no Piauí. No local são produzidos cerca de 100 mil toneladas de crustáceo, o que contribui para fazer com que o estado esteja entre os três maiores produtores de camarão no Brasil.
Na fazenda acontece o processo de engorda do crustáceo. Cerca de 70 funcionários legalmente contratados cuidam da produção seja de dia ou no período da noite. Os camarões chegam aos viveiros pequenos em formas de lavas para serem engordadas.
Ricardo Savegnago, gerente comercial da fazenda, explicou como os camarões conseguem cresce no viveiro. "Eles chegam aqui com mais ou menos 10 dias de pós lava e ficam no berçário por cerca de 30 dias. Após este prazo, eles são transferidos para o viveiro de engorda onde permanecem por mais 60 dias até engordarem cerca de oito gramas",disse.
O Ricardo é natural do Sul, mas vive na fazenda há mais de 15 anos. A produção de camarão requer cuidados especiais com objetivo de manter a qualidade de solo e de água.
Por ser um animal de trato bem delicado, o camarão querer uma estrutura de engorda bem disciplinada e foram todos estes cuidados que renderam ao Piauí o posto de terceiro maior produtor de camarão do país. O setor vem crescendo a cada ano e isso motiva os produtores a expandir o mercado. 90% dos camarões consumidos no Brasil saem da região, mas o alvo agora é as exportações e os produtores afirmam que a meta será cumprida quando o cambio ajudar.
"As exportações reduziram praticamente desde 2008 porque o preço era em dólar e quando se fazia a convenção percebemos que era difícil de haver exportação naquelas circunstâncias. Por isso foi desenvolvido o camarão no mercado interno que antes na existia. Atualmente, as pessoas conseguem consumir camarão porque há a produção em cativeiro, pois do contrário ele seria bem caro", afirmou o diretor geral da fazenda, Roberto Dutra.
Fonte: G1.globo.com

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Banda musical reúne pessoas com down, cadeirantes e autistas no Piauí

Objetivo do projeto é sensibilizar através da música e resgatar a cidadania.
Projeto conta com mais de 40 pessoas com ou sem alguma deficiência.
Fernando BritoDo G1 PI

Projeto social dá vida a grupo musical que reúne pessoas especiais (Foto: João Gilberto/Arquivo Pessoal)

Um projeto social que existe há 3 anos no Piauí tem feito a diferença na vida de pessoas que possuem algum tipo de deficiência. Idealizado pelo músico João Gilberto Oliveira, 40 anos, o Música Eficiente reúne surdos, deficientes físicos, crianças com síndrome de down e autistas, que integram o grupo musical denominado 'Banda Eficiente'. O principal objetivo do projeto é sensibilizar através da música e resgatar a cidadania.
Integrante há pelo menos seis meses no grupo, o pequeno Francisco Oliveira e Silva Neto, 8 anos, que tem síndrome de down, ainda tenta se identificar e escolher um instrumento musical: bateria, violão ou mesmo apostar no canto.

Mãe de Francisco Oliveira destaca que música tem sido uma terapia (Foto: Fernando Brito/G1)

Para a mãe Florença Oliveira e Silva, 50 anos, a participação do filho no projeto tem sido uma importante terapia uma vez que a interação e o contato dele com outras crianças ajuda na evolução psicológica e mental de Francisco.
Miqueias, 8 anos, é cadeirante e toca violino em banda (Foto: João Gilberto/Arquivo Pessoal)

"Sem dúvidas é um projeto que tem ajudado no desenvolvimento do meu filho. Ele passou a se socializar mais. Fica observando o que as outras crianças fazem e acaba também aprendendo. A vida das mães que têm um filho com algum tipo de deficiência é uma luta diária e ver eles se interagindo dessa forma é um alento", contou.
Quem também integra o grupo de música é Miquéias Mota Melo, de 8 anos. Apaixonado pelo projeto, o garoto toca um pouco de tudo: violino, violão, flauta, até meia lua e até bateria. Com tantas habilidades assim, ninguém nem imagina o quanto o pequeno é especial.
Miquéias nasceu com seis meses de gestação, possui hidrocefalia e mielogeningocele, uma doença grave que atinge os ossos da coluna vertebral do bebê que não se desenvolvem adequadamente. O menino é cadeirante.
"Eu gosto muito de música. É confortante para a alma. Mas o que eu gosto mesmo de tocar é bateria e violino. Me sinto muito bem vindo para as aulas de música", disse o pequeno.
Francisco Neto e Miquéias estão entre os mais de 40 alunos que assistem às aulas no projeto de música eficiente, que trabalha com a inclusão social de crianças com algum tipo de deficiência. Eles se reúnem todos os sábados no Centro de Ensino Fundamental de Tempo Integral (Cefti) Pequena Rubim, do Bairro Mocambinho, Zona Norte da capital, local cedido pela diretoria da unidade de ensino.
O projeto é um grande sonho. Prestar um serviço como esse para a comunidade não tem preço"
João Gilberto de Oliveira, 40 anos
professor e músico
Conforme João Gilberto, o projeto tem a colaboração de um fisioterapeuta, um fonoaudiólogo, um educador físico e outros três professores de música que se revezam todos os sábados no atendimento aos participantes.Todos trabalham voluntariamente.
"Esse projeto é um grande sonho. É muito gratificante chegar todos os sábados e encontrar jovens e crianças especiais em todos os sentidos. Prestar um serviço como esse para a comunidade não tem preço", ressaltou o professor de história, músico e especialista em educação especial.
Ainda sem o apoio do poder público e da iniciativa privada, o projeto funciona com base em doações e tudo bancado por João Gilberto e seus colegas voluntários. A proposta dele é transformar o projeto no Centro de Música Eficiente.
Fonte: Cidadeverce.com

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Reunião da SBPC discute ações para o Parque Nacional da Serra da Capivara



O município de São Raimundo Nonato, localizado a 530 Km de Teresina, foi o local escolhido para a realização da Reunião Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciencia- SBPC, que aconteceu no do campus da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).
Um dos principais objetivos do evento é dar visibilidade ao Parque Nacional da Serra da Capivara, unidade de conservação que abrange quatro municípios piauienses: Coronel José Dias, João Costa, Brejo do Piauí e São Raimundo Nonato.
Niéde Guidon, arqueóloga e diretora da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), foi a responsável pela criação do Parque, único no Brasil considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. "Muito mais do que vir aqui para congratular, a gente está aqui para chamar a atenção das autoridades e dos órgãos para tudo que está ali [no Parque] - Educação, Cultura - e que precisa de medidas para preservação de forma definitiva", afirmou a secretária geral da SPBC, Claudia Levy.
Helena Nader, que preside a entidade, manifestou preocupação acerca das dificuldades para a manutenção do Parque. Segundo ela, a realização do evento na cidade piauiense é uma homenagem ao trabalho realizado por Niéde Guidon. "Ela merece isso. Se não fosse por ela, o Brasil não teria esse patrimônio preservado", pontuou.
Os organizadores do evento buscam se articular junto a pesquisadores, estudantes, sociedade e poder público para tratar da preservação da área de maior concentração de sítios pré-históricos do Continente Americano- pelo menos 737 sítios catalogados. "O Parque possui uma das concentrações de arte rupestre do mundo, o que mostra que os povos que aqui viveram tiveram desenvolvimento cultural e técnico muito grande, e deixaram todo esse imenso tesouro para que nós pudéssemos investir e cuidar para o futuro", explicou a arqueóloga Niéde Guidon, durante a abertura do encontro, realizada no Auditório da Fumdham.
Envolver a comunidade
"O Homem e o meio ambiente: da pré-história aos dias atuais" foi o tema proposto pela Reunião que traz conferências e mesas redondas com temáticas atuais, tais como: "A gestão da Saúde Pública nas novas epidemias: Dengue, Zika e Chikungunya", "Abuso de álcool e drogas" e "Violação dos Direitos Humanos".
Além disso, foram oferecidas oficinas e atividades relacionadas à Ciência, voltadas para o público infantil, bem como um planetário 3D, instalado junto ao Ginásio Poliesportivo da Uespi. "Precisamos reconhecer o trabalho importantíssimo da SBPC que deu visibilidade à nossa instituição. Aproximar a sociedade do saber científico é o legado mais importante para a cidade", afirmou Nouga Cardoso, reitor da instituição, que foi homenageada pela SBPC na oportunidade.
Marcio Zamboni, diretor do Campus de São Raimundo e um dos organizadores do encontro, ressalta que o evento possibilitou maior inclusão da população e consolidou a Uespi como espaço cultural. "Incluímos na programação atividades culturais com música, dança e capoeira, necessárias à vida dos moradores, que encontraram a instituição de portas abertas e se envolveram bastante com o evento", concluiu.
Residindo desde 2013 no município, a bióloga Rute Maria Gonçalves de Andrade , coordenadora local da Reunião, atesta o impacto gerado pela realização das ações. "Senti a falta desse olhar para as pessoas daqui, no sentido de impulsionar, pois há um campo muito fértil com pessoas inteligente e capazes. É preciso apenas que alguém lhes diga os direitos que eles têm e as oportunidades que eles têm", finaliza.
Fonte: Cidadeverde.com

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Livro “Abrindo as cortinas” é lançado em Portugal

Através do projeto “Abrindo as cortinas: O teatro como estratégia de ensino” professores da educação básica aprendem técnicas de melhoria na aprendizagem dos alunos. O projeto resultou em um livro e documentário, lançado no Piauí, e que agora chega a Portugal. O livro foi lançado neste sábado (23) em Sintra e também será levado para Porto e Coimbra, nos dias 28 e 30 de abril, respectivamente. O livro e o documentário são frutos do projeto realizado através do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) e apoio da Secretaria Estadual de Cultura.
O projeto buscou aproximar os professores de uma metodologia de ensino diferenciada, em que o teatro constitui-se como aliado importante no processo ensino/aprendizagem. O papel do teatro foi ressaltado como instrumento psicopedagógico, por meio da realização de oficinas nos municípios de Parnaíba, União, Valença e Barras, nos campi da Universidade Estadual do Piauí (Uespi).
“Nós pensamos em distribuir esse material em toda instituição de nível superior que tem o Parfor, para que os professores percebam a noção que esse projeto propicia na metodologia de ensino” afirma o coordenador Geral do Parfor/Uespi, Raimundo Dutra. 
A linguagem do teatro foi utilizada nas oficinas como elemento mediador através de atividades vivenciais. Com essas propostas surgiram estratégias metodológicas a serem compartilhadas pelos docentes e discentes em sala de aula.
“Através desse projeto podemos mostrar o poder transformador da arte, porque ela salva. Vamos utilizar essa arte dentro das escolas. É um sonho realizado mostrar esse projeto em Portugal, estamos representando principalmente o Piauí”, conta a arte-educadora e coordenadora do Projeto Abrindo as Cortinas, Bid Lima.
Atividades
Mediados pela arte-educadora e atriz Bid Lima, cerca de 150 professores cursistas do programa em diversas licenciaturas foram incentivados a levar aos espaços escolares o conhecimento por meio da linguagem e da produção artísticas. Em oito meses consecutivos de atividades, eles conheceram técnicas para trabalhar com a percepção sensorial de seus alunos e de desenvolvimento da criatividade e improvisação por meio de jogos dramáticos, da leitura e discussão de textos e de exercícios corporais.
O livro e documentário já foram lançados em Teresina, Floriano e Bom Jesus e serão distribuídos nas escolas públicas municipais e estaduais.O material também está sendo disponibilizado na página do Parfor/Uespi. O lançamento está acontecendo junto com o Projeto Circula Harém Portugal, onde estão sendo apresentadas as peças Abrigo São Loucas e Um Bico para Velhos Palhaços.
Fonte: Cidadeverde.com

terça-feira, 26 de abril de 2016

Vacinação contra vírus H1N1 começa dia 30 em Teresina

Teresina vai iniciar a campanha de vacinação contra o vírus Influenza no próximo sábado (30). A capital recebeu 77 mil doses. A imunização para profissionais de saúde teve início no dia 15 de abril. O Dia D de Mobilização terá com ponto de concentração da Unidade Básica de Saúde Leônidas Antônio Deolindo, no bairro do Saci, zona Sul da cidade.
A campanha vai até o dia 15 de maio. Além dos profissionais de saúde, fazem parte do grupo prioritário para receber a dose da vacina contra gripe: crianças de 6 meses a 5 anos, maiores de 60 anos, grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas, população privada de liberdade, funcionários de sistemas prisionais e pessoas com doenças crônicas (diabetes, hipertensão e outros).
A imunização serve contra o vírus Influeza A H1N1, o vírus Influenza A H3N2 e o vírus Influenza B. A FMS de Teresina tem como meta, preconizada pelo Ministério da Saúde, vacinar 173.058 pessoas contra Influenza. Desse total são 20.894 crianças de 6 meses a 2 anos, 35.401 crianças de 2 a 4 anos, 13.402 trabalhadores de saúde, 10.447 gestantes, 1.717 puérperas, 70.481 idosos e 20.716 pessoas com comorbidades.
De acordo com o Ministério da Saúde, a Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.
Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.
Fonte: Cidadeverde.com

segunda-feira, 25 de abril de 2016

HORA DO ENEM

Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) contam agora com uma ferramenta inédita e gratuita de preparação para as provas do exame: a Plataforma Hora do Enem. A iniciativa reúne na internet um conjunto de ações, como simulados e vídeoaulas, para auxiliar na preparação dos estudantes.
Ao usar um computador, tablet ou celular para acessar a plataforma, o estudante marca o curso em que quer passar e quanto tempo tem para estudar por dia para o Enem. A partir desse diagnóstico, a plataforma oferece um plano de estudo com pontos fortes e fracos na medida do participante, com exercícios, resumos e videoaulas direcionados. Hora do Enem é uma parceria entre o Ministério da Educação e o Serviço Social da Indústria (SESI), além da TV Escola, canal público do MEC.
Simulado
O primeiro simulado on-line será realizado já no próximo dia 30 para os 2,2 milhões de estudantes do último ano do ensino médio das redes pública e particular. Caso o estudante não tenha condições de realizar o simulado em computador próprio, o Ministério da Educação oferecerá 120 mil acessos por meio de universidades e institutos federais, instituições particulares e comunitárias e escolas estaduais de ensino médio. Esses estudantes precisam fazer inscrição para os locais de prova de 11 a 15 de abril, por meio da plataforma Hora do Enem.
Ainda estão previstos mais três simulados: dias 25 de junho, 13 de agosto e 8 e 9 de outubro. Os simulados seguirão o mesmo formato das questões do Enem. Com isso, as avaliações serão capazes de estimar uma nota no Enem, com o objetivo de preparar os estudantes para as provas.
MECFlix 
Com apenas alguns cliques, o estudante tem à sua disposição vídeos de conteúdos para treino conforme suas necessidades, o MECFlix. O ambiente interativo tem estreia prevista para 30 de abril e traz ainda notícias atualizadas sobre o Enem, um programa diário produzido pela TV Escola e também com acesso gratuito a uma plataforma de estudo personalizado de preparação para o Enem.
Programa 
Com estreia prevista para maio, o novo programa da grade da TV Escola, Hora do Enem, ajudará na preparação dos estudantes interessados em fazer o Enem este ano com dicas de especialistas, vídeo resoluções realizados por parceiros do setor educacional, comentários de professores experientes e muito mais.
Com duração de meia hora, o Hora do Enem será exibido todos os dias às 18h, com reprises às 7h, 13h e no fim de semana. Mais de 40 canais de todo o Brasil, entre TVs universitárias e canais estaduais, vão reproduzir o programa em suas grades.
Plataforma
A plataforma Hora do Enem é um aplicativo disponível para web e android que reúne centenas de videoaulas e milhares de exercícios abrangendo toda a matriz de conteúdo do Enem. Permitirá um diagnóstico individual e um plano de estudos personalizado para cada estudante, com base no curso desejado e nas necessidades específicas. O aplicativo ainda permitirá que os gestores das redes públicas e o Ministério da Educação acompanhem o progresso dos alunos até a realização do Enem. Os dados poderão ser utilizados para aprimorar o ensino e direcionar medidas de melhoria na educação pública.

Acesse a plataforma
Fonte: http://enem.inep.gov.br/

domingo, 24 de abril de 2016

Astronauta britânico completa maratona no espaço


© Fornecido por Notícias ao Minuto

O astronauta britânico Tim Peake, de 44 anos, entrou na história ao completar uma maratona na Estação Espacial Internacional neste domingo (24). Peake percorreu os 42 quilômetros da prova preso a uma esteira, informou a agência Reuters.
A corrida ocorreu no mesmo dia da clássica Maratona de Londres, a maior prova de atletismo da Grã-Bretanha. Enquanto corria, ele pôde ver as ruas da capital britânica sob seus pés ao vivo em um iPad. Mais de 400 quilômetros abaixo dele, 37 mil competidores participaram da prova.
Peake levou 3 horas, 35 minutos e 21 segundos para percorrer a prova. O queniano Eliud Kipchoge, vencedor da competição, completou o percurso em 2 horas, 3 minutos e 5 segundos - o segundo melhor tempo já registrado numa maratona.
Ex-corredor, Peake já havia completado a maratona de Londres em 1999, quando fez a prova em 3 horas, 18 minutos e 50 segundos.
Fonte: msn.com/